Nos últimos tempos, um número expressivo de motocicletas vem tomando conta das ruas de São Paulo. Porém, com o crescimento da categoria também aumenta o número de roubos e furtos de motos.

Por se tratar de um meio de transporte fácil de se esconder, abandonar ou desmanchar, algumas localidades da capital tornaram-se pontos críticos e com registros de roubos rotineiros.

Após o roubo, a moto é encaminhada para uma oficina improvisada, tem o selo de circulação e a placa retirados, o chassi raspado e a identificação do motor apagada. Depois de passar pelo processo de desmanche, as peças são vendidas irregularmente para lojas de autopeças, por baixo custo e sem nota fiscal, repassando os acessórios para a população.

Outra movimentação ilegal ocorre com as motocicletas que foram detidas em operações policiais. O motociclista que estiver irregular tem até 90 dias para normalizar a situação. Caso a moto não seja retirada até o prazo, é colocada em leilão. As que tiveram danos provocados por acidentes e estão sem condições de conserto têm suas peças leiloadas e, de acordo com a lei, não poderão voltar a circular pelas ruas e estradas.

De acordo com a Polícia Militar do Estado de São Paulo, existem várias formas de se cometer o roubo de motos, mas, na maioria das vezes, a abordagem é feita por dois ladrões ocupando outra moto (condutor e garupa), os quais fecham o motociclista e o ameaçam, normalmente com arma de fogo. O garupa assume a moto da vítima e os dois fogem.

Não existe nenhuma medida que garanta 100% a segurança do motociclista, mas a atenção a movimentações suspeitas, especialmente de uma moto com dois ocupantes o seguindo, ajuda a evitar o crime. Se isso ocorrer, procure parar num local seguro, de preferência num posto policial. Caso não haja um por perto, procure um posto de combustível bem movimentado ou algum estabelecimento que lhe permita o abrigo, e acione a Polícia Militar pelo telefone 190.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o índice de roubos de veículos teve uma considerável queda de 1,3% do primeiro para o segundo trimestre de 2009.

Uma maneira interessante de combater roubos e furtos de motos é utilizada na Colombia, onde a identificação da placa da motocicleta é gravada no colete do motociclista. Será que essa estratégia daria certo no Brasil?

Caso sua moto seja roubada ou furtada, tome as seguintes providências:

• Ligue imediatamente para Polícia Militar, no número 190, passando os dados da moto. Isso precisa ser feito de maneira imediata, pois permite orientar os patrulheiros. Quanto mais tempo demorar o contato, menores serão as chances de recuperação da moto.

• Compareça a uma delegacia da Polícia Civil para registrar o boletim de ocorrência. Essa providência não precisa ser tão imediata quanto a primeira, mas recomenda-se que seja feita logo para facilitar o trabalho dos investigadores.
Fonte: Policia Militar do Estado de São Paulo

Dicas que podem ajudar
• Faça seguro da moto
• Instale alarmes
• Utilize correntes e cadeados
• Insira trancas de segurança
• Monitore a moto com rastreadores

Pontos críticos de furto de motos em São Paulo
• Final da Rodovia Bandeirantes – acesso às marginais (principalmente nos finais de semana e feriados).
• Acesso às marginais (principalmente nos finais de semana e feriados).
• Trevo da Anhanguera, próximo ao SBT, entrada para a Vila Jaraguá.
• Av. Rio Branco, Duque de Caxias, Centro – (à tarde e principalmente à noite).
• Av. São João – embaixo do Minhocão – (à tarde e principalmente à noite).
• Rua General Osório – (à tarde e principalmente à noite).
• Rodoanel em toda sua extensão. Simplesmente por não haver muito policiamento e apenas um posto de polícia rodoviária após a Castello Branco.
• Na região do ABC Paulista – atenção para av. Lions, rua Brasil, av. Prestes Maia, Corredor ABCD e todas as saídas da Via Anchieta a partir do km 14.
Fonte: Associação Brasileira de Motociclistas (ABRAM)

O principal objetivo dos ladrões de motos é obter lucro com as peças. Uma das medidas preventivas que pode ser adota é a gravação dos caracteres da placa nas peças da moto. Se o chassi e o bloco da moto estiverem marcados, os ladrões não têm como reutilizar as peças. As motos vacinadas passam a ter suas peças registradas e identificadas, impossibilitando a comercialização. Se o ladrão tentar raspar a numeração, danificará a peça por total. Mas por uma questão de confirmação e segurança existe outra identificação interna que é impossível de ser removida.

Eu não compro peça roubada.
Na minha visão a melhor forma de coibir os roubos é a conscientização das pessoas. Se ninguém comprar peças roubadas, os ladrões não terão para quem vendê-las e, por consequência, o número de roubos caem. Além da falta de consciência de quem compra, soma-se o alto preço das peças (algumas vezes abusivo) e a facilidade de encontrar as peças roubadas (entra aqui a conivência das autoridades policiais pois todos em São Paulo sabem o que acontece no arredores da Rua General Osório no centro de São Paulo).

Via Motovrum


Categorias: Notícias

About Alessandro Temperini

Publicitário, blogueiro e motociclista. =)
  • http://www.bestpokernodepositbonus.blogspot.com/ Bónus de Poker Sem Depósito

    tudo bem, li a tua web page e amei imenso,acho que tás a escrever muito bem!
    Parabéns com o bom tema!
    Adeus

  • http://Site/Blog Loneli Monteiro

    Boa tarde ! escrevo para dar um testemunho , tenh uma Falcon 2006 e fiz a vacina na moto em 2008 , na semana passada dia 16/04 fui abordado por dois motoqueiros que estavam em uma twister , eles esbarraram em mim e eu quase cai , quando eu aplumei a moto , estava com uma pistola apontada no meu peito , eu parei a moto, o rapaz da garupa olhou minha moto e disse para o piloto “VASA, TÁ BIXADA” eles viram que a moto estava vacinada e foram embora, acredito que este sistema deveria vir de fabrica, porque ninguem vai comprar uma peça gravada com a placa de uma moto roubada, então o bandido não vai conseguir vender as peças
    Loneli Monteiro

  • http://Site/Blog Jennifer-Tool

    bom comeco

    • Paulo

      Eu
      tive a minha moto recentemente furtada. O que mais me deixou chateado foi a
      policia, completamente indiferente e mal educada, além de demonstrar uma
      completa falta de competência. Aonde foi roubada existem inúmeras câmeras,
      levei para a policia imagens, pura perda
      de tempo. Incrível é o número de policiais que tem na rua, que simplesmente não
      fazem nada de útil, apenas ficam tomando cafezinho nos bares e depois se viram
      para gente com ar moralista e multam. Não acho que a culpa seja tão dos
      ladrões, mas sim desta policia medíocre e conivente.